22/03/2010

Alem da Morte...



Fecho os olhos num sonho que me leva

Às paragens divinas da Saudade,

Lá onde a noite é apenas claridade

Dando origem talvez a nova treva.

Fecho os olhos e avisto a Eternidade,

Lá onde um sol fantástico se eleva

Num perpétuo fulgor, sem que descreva

Sua órbita de luz na imensidade.

Fecho os olhos e vejo a minha imagem

Anoitecendo os longes da paisagem,

Como a unica sombra que persiste...

Sou eu! Sou eu aquele vulto errando!

Sou eu, além da morte ainda sonhando

Na tua Graça e neste Amor tão triste!...


Anrique Paço D'Arcos


Sem comentários:

Enviar um comentário