23/06/2010

A ti, Zé...


Dizem que foste tu
a escolher a violência
da tua morte,num acorde perfeito
com os teus versos. Não é verdade:
tu sabias que nenhum inferno
é pessoal, por isso procuravas
um rio onde ardesses
para voltares a nascer longe da terra.
Apenas isso – o resto é merda.

Eugénio de Andrade

Sem comentários:

Enviar um comentário