18/10/2010

Melodia


Este é o orvalho dos teus olhos.

Esta é a rosa dos teus vales.

O silêncio dos olhos está no silêncio das rosas.

Tu estás no meio,

entre a dor e o espanto da treva.

Arrancas-te ao mundo e és a perfumada

distância do mundo.

Chego sem saber, à beira dos séculos.

Despenho-me nos teus lagos quando para ti

canta o cisne mais triste.

O pólen esvoaça no meu peito, junto às tuas

nuvens.

Esta é a canção do teu amor.

Esta é a voz onde vive a tua canção.

As tuas lágrimas passam pela minha terra

a caminho do mar.


José Agostinho Baptista

Sem comentários:

Enviar um comentário