06/01/2011

Carta a João Gaspar Simões


(…) O sino da minha aldeia, Gaspar Simões, é o da Igreja dos Mártires, ali no Chiado. A aldeia em que nasci foi o Largo de S. Carlos, hoje do Directório, e a casa em que nasci foi aquela onde mais tarde (no segundo andar, eu nasci no quarto) haveria de instalar-se o Directório Republicano. (Nota: a casa estava condenada a ser notável, mas oxalá o 4º andar dê melhor resultado que o 2º).
 (…)


Fernando Pessoa

Sem comentários:

Enviar um comentário