21/01/2011

Desavinda ...




Desordenada comigo
oponho o corpo ao destino
como quem veste o vestido e o despe em desatino

Desavinda com o sossego
ponho a nudez onde acendo
o grito do meu prazer
que ora prendo ora desvendo

Maria Teresa Horta

Sem comentários:

Enviar um comentário