09/07/2011

Dormes...

Dormes.
Não há no mundo senão teu rosto.

O céu sob o tecto
espera comigo que despertes.

O meu único relógio
é a sombra imóvel no chão do quarto.

A curva da terra
em tua pálpebra desenhada:
no teu sono me embalas.

Dormes-me.


Mia Couto

1 comentário:

  1. Olá, Brisa:
    Boa Noite aí e aquí...quase!Rsrs...
    Continua a "dança" com o Blogger e, hoje, passei-me dos "carretos"!...
    4 horas para fazer 2 ou 3 coisas que demorariam 15/20 minutos... é OBRA!...
    O poema de Mia Couto é lindo mas "triste, triste"...!
    Boa Semana, Amiga.
    Um Abração do
    Rui

    ResponderEliminar