26/01/2015

Tu...


Tu acendes a chama 
do meu corpo
pões a lenha ao fundo
em sítio seco

Procuras no desejo
o ponto certo
e convocas aí
o lume certo

Se a madeira demora
a ganhar fogo
tomas-me as pernas
e deitas lento o vinho

Riscas os fósforos todos
e depois
é mais um incêndio
que adivinho


Maria Teresa Horta

2 comentários:

  1. MARIA ADELAIDE,

    e que incêndio magistral,único,como se fosse a reserva especial da da natureza que
    faz o melhor e inigualável vinho de uma safra abundante fruto dos mais preciosos nutrientes da terra.
    O gozo que jorra de toneis de prazeres,esguichos mágicos do expandir do corpo em milésimos de segundos encantados.
    E seios sempre me encantam!
    Umabração carioca,Rio de janeiro,Brasil.

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde, chama viva e ardente provocadora de belos incêndios.
    Poema maravilhoso com criatividade.
    AG

    ResponderEliminar