22/01/2015

Vagarosamente...


«... Despi-a vagarosamente com os olhos, com as mãos, com os lábios. O sexo tinha a elevação de uma eira cheia de trigo queimado e um sendeiro cor de romã. Entrei por ela como um arado esgarçando a terra húmida e senti-lhe a pele por dentro, suave, como um forro de cetim no vestido da sua nudez… »


João Morgado

Sem comentários:

Enviar um comentário