16/02/2015

Apelo




Atravessa os campos da noite
e vem.

A minha pele
ainda cálida de sol
te será margem.

Nas fontes, vivas,
do meu corpo
saciarás a tua sede.

Os ramos dos meus braços
serão sombra rumorejante
ao teu sono, exausto.

Atravessa os campos da noite

e vem.

Luísa Dacosta

1 comentário:

  1. Maravilhoso poema de reflexão
    Grata por compartilhar connosco tão lindas publicações
    Beijinho com carinho
    Maria
    P.S.
    Vou partilhar no Google+

    ResponderEliminar