27/04/2015

A soma dos dois...

Pensei escrever-te um poema
que te falasse da minha Paixão
tropecei nos atacadores
espalhei-me ao comprido no chão.
Dorida e magoada, ergui-me
e corri para o bloco de notas
tropecei no tapete persa
e parti o salto das botas.
Ferida e humilhada
Gritei pelo nosso Amor.
Apanhei um lápis velho, sem bico
e não encontrei o afiador.
Finalmente sentada, feliz e
apaixonada, já te podia escrever.
Tonta de tanta emoção
Senti-me fraca, desfalecer.
Afinal ainda não foi hoje
que te exprimi os sentidos Amores
mas prometo não desistir.
Escrever-te-ei logo que possa
assim que me passem as dores.

Manuel Caetano Geada



4 comentários:

  1. Rapariga azarada.
    Melhor será ir nas asas
    dum passarinho e pousar
    no ombro do amado.

    ResponderEliminar
  2. Os percalços no amor não o tornam inatingível, há que perseverar nesse sentimento...
    J

    ResponderEliminar
  3. Belleza de sentimientos en un poema que nace del interior. ¡enhorabuena¡

    * intento hacerme seguidora tuya, pero me da problemillas, me llevo el link y lo sigo intentando.

    Besos muy cariñosos,

    tRamos

    ResponderEliminar