04/05/2015

Acaso...


No acaso da rua, o acaso da rapariga loira.
Mas não, não é aquela…
A outra era noutra rua, noutra cidade, e eu era outro.
Perco-me subitamente da visão imediata,
Estou outra vez na outra cidade, na outra rua,
E a outra rapariga passa.
Que grande vantagem o recordar intransigente!
Agora tenho pena de nunca mais ter visto a outra rapariga,
E tenho pena de afinal nem sequer ter olhado para esta.
Que grande vantagem trazer a alma virada do avesso!
Ao menos escrevem-se versos.
Escrevem-se versos, passa-se por doido, e depois por génio, se calhar.


Álvaro de Campos

3 comentários:

  1. Tudo se move

    até o vento

    Bj

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde, na outra rua, na outra cidade esteve a outra. Álvaro de Campos é excelente no jogo das palavras, obrigado pela bela partilha.
    AG

    ResponderEliminar
  3. Great blog♥

    How about follow each other?
    I follow your blog. Waiting for you♥
    My Blog: http://juliemcqueen.blogspot.com

    ResponderEliminar